Una-se a esta Obra de Fé!

Gráfico da Construção

11%
Clique aqui para acompanhar a construção
O Caminho Niemeyer
caminho

O Museu de Arte Contemporânea foi o ponto de partida. Construído em um local geograficamente privilegiado escolhido pelo próprio arquiteto a convite do então prefeito Jorge Roberto Silveira. O prédio é lançado acima do terreno com um único ponto de apoio sobre um espelho-d’água que intensifica a leveza da proposta e libera todo o térreo da praça. O acesso ao Museu é feito por rampa sinuosa que convida as pessoas a olhar seu entorno nos 360º.

Teatro Popular

O Teatro Popular traz também outra genial inovação do arquiteto. Com uma única infra-estrutura de palco, camarins, locais e recursos técnicos, possibilita espetáculos tanto internamente, para 400 pessoas sentadas, quanto ao ar livre, na praça, para aproximadamente 20.000 pessoas, com a abertura de um grande painel vertical no fundo do palco.

Fundação Oscar Niemeyer

Em frente ao teatro, ficará a Fundação Oscar Niemeyer, com 2 prédios, sendo um no pavimento semi-enterrado, pra todo o seu acervo, e o pavimento superior para administração, auditório para 130 pessoas e salas de aula, destinados a cursos idealizados pelo arquiteto.

Memorial Roberto Silveira

Ao lado dessas duas edificações, definindo a grande praça, o Memorial Roberto Silveira é uma casca de base elíptica que, num nível, fornece dados informatizados sobre a cidade e, em outro, um pouco mais abaixo, possibilita o seu uso para palestras.

Nova Catedral de Niterói

A Nova Catedral de Niterói, localizada no ponto extremo da praça, terá capacidade para 5000 pessoas na nave, com cúpula de 60m de diâmetro suspensa por três arcos de 70m de altura. Todos os espaços para seu funcionamento estão abaixo do nível da praça, com vista total para as águas da Baía de Guanabara.

Terminal de transporte intermodal

O terminal rodoviário João Goulart e a estação de barcas serão substituídos pelo Terminal de transporte intermodal – um novo terminal, moderno, que integre diferentes meios de transporte (ônibus, metrô e barcas) numa única região, e se harmonize esteticamente ao Caminho Niemeyer.

Seguindo o Caminho, destaca-se o Museu do Cinema Brasileiro. Sua concepção surgiu em razão de um terreno muito estreito e pequeno. Tem 2 blocos: um para 5 cinemas de capacidades variadas, sobre pilotis e com circulação envidraçada para o mar; em outro bloco com fechamento em vidro de 3 pavimentos – o primeiro para um cinema/auditório para 700 pessoas, o segundo para exposições e o último para administração.

Finalmente a Estação Hidroviária de Charitas, localizada junto ao mar em praça com estacionamento para veículos. Com 2 pavimentos, no térreo fica o saguão de embarque e desembarque e o conector de ligação às barcas, com cobertura de material translúcido, além de lojas e administração. Da praça, novamente o arquiteto lança o recurso da rampa para chegar ao segundo pavimento, onde está localizado um restaurante com vista para a paisagem.